ANOMT - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE OPERADORES MARÍTIMO TURÍSTICOS: Objectivo servir a actividades marítimo turística, assegurando a defesa dos seus associados, celebrar contractos, acordos, promover o desenvolvimento empresarial e tecnológico.
Domingo, 23 de Março de 2014
A ACTIVIDADE MARÍTIMO TURÍSTICA COMO COMPONENTE DE DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO NO CONCELHO DE CASCAIS.

A ACTIVIDADE MARÍTIMO TURÍSTICA COMO COMPONENTE DE DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO NO CONCELHO DE CASCAIS.

 

O concelho de Cascais é detentor de uma enorme Costa Atlântica tem como principal factor de desenvolvimento económico o turismo, especialmente na sua componente de lazer, Sol e Mar.

 

O desenvolvimento do Turismo Náutico na área geográfica do Concelho de Cascais, tem sido dificultado pela falta de acesso dos operadores Marítimo Turísticos a infraestruturas adequadas ao desenvolvimento da actividade, bem como pela pouca atenção que é dedicada pelas entidades tutelares a este importante sector económico do país.

 

A Marina de Cascais dispõe de um excelente equipamento, detentor de excelentes condições logísticas para o desenvolvimento da Actividade MT e consequentemente do Turismo Náutico, mas pratica preços proibitivos para os operadores MT, (em comparação com outra marinas e portos de recreio), que sem infraestruturas logísticas acessíveis se vêm obrigados a pagar, agravando de forma desmesurada os custos de operação, tendo como consequência a falência de várias empresas MT a partir de 2012.

 

Está neste momento e até ao dia 31 de maio de 2014 em discussão pública a Estratégia Nacional para o Mar, 2013 – 2020, o instrumento de política pública que apresenta a visão de Portugal, no que se refere ao modelo de desenvolvimento assente na preservação e utilização sustentável dos recursos e serviços dos ecossistemas marinhos, apontando um caminho de longo prazo para um crescimento económico, inteligente sustentável e inclusivo, assente na componente marítima.

 

Neste documento é dada grande relevância e importância ao turismo associado a atividades náuticas, á náutica de recreio no seu todo e aos cruzeiros de turismo, é realçada a necessidade de serem criadas, num quadro ordenado, as necessárias infra- estruturas de apoio, como marinas e centros náuticos, bem como de reparação naval. Considerados potenciais catalisadores do incremento de atividades desportivas, que por si só contribuam para dinamizar o setor e, paralelamente, reforçar uma política de comunicação e educação que consolide a imagem de Portugal como um país de forte identidade marítima.

  

Não façamos da Estratégia Nacional para o Mar 2013/2020 um mero documento de prosa eleitoral, façamos deste excelente documento um guia de boas práticas e o plano de acção que vise sobretudo, a valorização económica, social e ambiental do espaço marítimo local e nacional.

Os operadores Marítimo Turísticos na área geográfica do Concelho de Cascais estão prontos.

 

 

 

António Luís Ribeiro de Lemos

 

Presidente da Direcção da ANOMT 



publicado por Antonio Lemos às 09:18
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De domingos carvalho a 23 de Março de 2014 às 10:23
Pergunto
Quantos ordenados e almoço já ganharam a falar de politica do mar????????,respondam agora,,,, 0 que fizeram efectivamente, alem de conversa e dos almocos
domingos carvalho


Comentar post

Sobre a ANOMT
pesquisar
 
Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

A ACTIVIDADE MARÍTIMO TUR...

Estratégia Nacional para ...

Cascais Marítimo Turístic...

Capitania On-Line - AMN

Nova portaria para a pesc...

Corpos Sociais da ANOMT e...

Assembleia Geral extraord...

Comunicado ANOMT

Reunião no Ministério da ...

DAS PALAVRAS AOS ACTOS.

arquivos

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds